Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

08/06/2015

Manifestações de paranóia/esquizofrenia (8)

«Esquizofrénico é alguém que perde a capacidade de pensar de uma forma lógica e, consequentemente, de comunicar e de se relacionar, passando a viver num mundo paralelo e sem as normas pelas quais se regem as pessoas ditas normais».
«Todos, menos o Estado, que vive num país à parte. Este monstro foi congeminado e erguido por Salazar e depois decisivamente acrescentado por Cavaco Silva…» escreveu o tudólogo Miguel Sousa Tavares na sua crónica habitual no Expresso. Primeiro zurziu a criatura - o «monstro» - e depois apontou o dedo aos seus putativos pais.

Do seu mundo paralelo, MST não se apercebeu que Marcelo Caetano, o herdeiro de Salazar, apesar de 13 anos de uma guerra colonial, deixou um monstrinho que, medido pela despesa corrente a preços constantes, os seus seguidores em 40 anos multiplicaram mais de 7,3 vezes e o transformaram no monstro de hoje. Cavaco Silva, o segundo responsável pelo crescimento do monstro no mundo paralelo de MST, em dez anos aumentou-o 1,6 vezes, um incremento anual (4,8%) ligeiramente inferior à média (5,1%). Nos outros 30 anos o monstro engordou em média 5,2% por ano. O resultado pode ver-se no diagrama seguinte que tenho sempre à mão para tratar a esquizofrenia,

Fonte: PORDATA
Se Salazar e Cavaco Silva fossem os principais responsáveis pelo monstro ele seria hoje o monstrinho da herança de Salazar com os acrescentos de Cavaco Silva: um pequeno monstro com 17 mil milhões de despesas correntes ou seja um pouco mais de 1/3 do monstro que hoje de facto nos devora.

Perguntarão: mas isto não é evidente? Responderei, perguntando: se não é evidente para uma luminária ilustradíssima como MST como há-de ser evidente para as legiões de analfabetos funcionais alimentados pelo jornalismo de causas? Perguntarão ainda: valerá a pena perder tempo com os dislates dessa luminária? Responderei: diferentemente da esmagadora maioria dos comentadores que têm uma agenda partidária e pessoal e uma falta de integridade confrangedora, MST só parece ter uma agenda pessoal e, se o meu diagnóstico estiver certo, trata-se de um caso muito mais de esquizofrenia do que de falta de integridade. Acresce que tem numerosos seguidores que o escutam e lêem. Qed?

1 comentário:

Unknown disse...

A umbigopatia é uma doença muito comum pricipalmente nas sumidades publicas e facilmente detectada; tratanento é que só um ; isolar o doente.