Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

25/06/2015

Mitos (203) – Take Another Plane ou Take Another Plan? (V)

Outros mitos (I), (II), III) e (IV)

Menos de 5 em cada 1.000 trabalhadores da TAP protestaram ontem contra a venda de 61% da TAP com a presença de Carmelinda Pereira, a célebre militante trotskista da facção lambertista, em representação da Fenprof.


Os momentos da justa luta contra a entrega da TAP ao capital monopolista imperialista foram registados para a história por Pacheco Pereira, o conhecido militante maoísta da AOC (*), reconstruído a partir do antigo líder parlamentar e dirigente do PSD com o mesmo nome.

(*) Ou terá sido «na OCMLP. Se bem que, tirando ele, ninguém deve saber qual era a diferença.» (ver comentário de JMG)

1 comentário:

José Meireles Graça disse...

Pacheco na Aliança Operário-Camponesa? Não, creio que foi na OCMLP. Se bem que, tirando ele, ninguém deve saber qual era a diferença.