Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

11/06/2015

Manifestações de paranóia/esquizofrenia (9)

«Esquizofrénico é alguém que perde a capacidade de pensar de uma forma lógica e, consequentemente, de comunicar e de se relacionar, passando a viver num mundo paralelo e sem as normas pelas quais se regem as pessoas ditas normais».
Quanto mais conheço manifestações do pensamento politicamente correcto mais aprecio a definição de um aluno da Griffith University que ganhou o concurso de 2012 para a definição mais apropriada para um termo contemporâneo. Desta vez foi o «cientista cognitivo Guy Claxton, professor convidado do Kings College, em Londres. Para ele a borracha "é uma forma de mentir para o mundo, dizendo "eu não errei, acertei à primeira"." Claxton diz mesmo que se trata de um "instrumento do diabo"

O que levanta desde logo uma magna questão: «Será que as escolas deviam proibir o uso de borracha?»

1 comentário:

Anónimo disse...

Tá tudo bêbado, i.e., emborrachado.
Abraço