Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

26/06/2015

Dúvidas (106) – Onde está escondido o lado escondido do novo dono da TAP?

Ao ler título do artigo da Visão «O lado escondido do novo dono da TAP» salivei de excitação, antecipando os podres de Humberto Pedrosa, o dono da Barraqueiro.

Primeira decepção. Não se trata de Humberto Pedrosa, anunciado como o maior accionista da Gateway, o consórcio que comprou 61% da TAP. Trata-se David Neeleman, anunciado como accionista minoritário e citado como tendo dito que «o Humberto é controlador» mas que o jornalismo de causas já provou que é quem manda. Como provou o jornalismo de causas tal coisa quando considera que em relação ao preso 44 nada está provado? Ora que pergunta. Porque a TAP era uma companhia de bandeira e Sócrates era uma bandeira da companhia.

Segunda decepção. Procurei avidamente o tal lado escondido. Seriam os 9 filhos? Seria o défice de atenção? Seria a religião mórmon? Seria os oito mil metros quadrados da casa? Seria só dormir 4 a 5 horas por dia? Seria por ter baptizado mais de 200 brasileiros? Seria por doar o seu salário ao fundo de emergência dos empregados? Seria por ajudar a limpar os aviões?

Por fim lá encontrei «um fracasso americano»: em 2007 um avião da JetBlue ficou 11 horas paralisado pela neve com 100 passageiros a bordo no aeroporto de NY. Uf! Pronto está explicado.

Sem comentários: