Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

15/06/2015

Mitos (200) – Quem foi afinal o maior destruidor de emprego?

«Se está convencido que este governo é o responsável pela maior destruição de empregos, esqueça. Os governos de José Sócrates, entre junho de 2008 e junho de 2011, assistiram à eliminação de 304 mil empregos. O atual governo, entre junho de 2011 e março de 2015, assistiu à extinção de 251 mil empregos.

Curiosamente, no período em que os governos de José Sócrates acompanharam o crescimento do emprego, observou-se a criação de 58 mil novos postos de trabalho (entre março de 2005 e junho de 2008, no seu auge). No atual governo, o número de postos de trabalho cresceu 135 mil, entre março de 2013 (o mínimo) e março de 2015.»

Mitos urbanos e realidades, João Duque no Expresso

Vem a propósito lembrar o que a este respeito se escreveu há 4 anos no (Im)pertinências.

Sem comentários: