Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

10/11/2011

BREIQUINGUE NIUZ: Finalmente uma agência de rating amiga?

Trazida pela mão dos Espíritos, os banqueiros deste regime e de todos os regimes, segundo a sua própria definição, chegou a Portugal a Dagond Global Credit Rating Co. Supunha-se tratar-se de uma agência de rating amiga dos Espíritos e, consequentemente, amiga do regime. À primeira vista aquela suposição confirma-se quando o senhor Guan Jianzhong, presidente da Dagond, afirma que «foi o actual sistema de notação financeira que despoletou a crise» confirmando, assim, a tese oficial do governo Sócrates, do PS, da esquerda em geral e da banca do regime.

À segunda vista, quando o senhor Jianzhong entra nos detalhes (o diabo está sempre nos detalhes) e confessa que «a nossa base de análise do BES não é tão má como a das outras agências de rating» e «actualmente é arriscado comprar dívida portuguesa», borra a pintura.

Sem comentários: