Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

16/10/2013

Mitos (144) – Juros usurários (4)

Outros mitos sobre os juros usurários: (1), (2) e (3)

Clicar para ampliar (fonte: BPI - Análise mensal Outubro)
Como os gráficos mostram com clareza, se pagamos mais juros a menos de metade das taxas é porque temos mais do dobro da dívida. Se tivéssemos a mesma dívida pagaríamos menos de metade dos juros que pagávamos antes. Lá se vai, uma vez mais, o mito recorrente do esquerdismo infantil e do esquerdismo senil que explica as nossas desgraças pelos imaginários juros exorbitantes que a troika e os outros credores nos cobram.

Por falar nas várias famílias do esquerdismo, o querido líder camarada Vladimir Ilyitch Ulianov escreveu na primavera de 1920 um panfleto com o título «Esquerdismo: Doença Infantil do Comunismo». Se o camarada Vladimir Ilyitch Ulianov lhe tivesse dado tempo, Alexander Fyodorovich Kerensky (recorde-se que Kissinger em 1975 chamava Kerensky a Soares) poderia ter escrito «Esquerdismo: Doença Senil do Socialismo» e hoje teríamos o soarismo historicamente classificado.

Sem comentários: