Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

13/10/2013

CAMINHO PARA A INSOLVÊNCIA: A dívida pantagruélica do Moloch não pára de crescer

«Apesar do excedente registado na balança corrente e de capital no primeiro semestre de 2013, observou-se um agravamento da posição devedora (líquida) da economia portuguesa face ao resto do mundo (4,5 p.p. face a 2012), situando-se em 121,3 por cento do PIB no final do primeiro semestre.» (Boletim Económico de Outono do BdeP)


Falta dizer que, independentemente de metade do agravamento conjuntural da posição líquida se dever à desvalorização do ouro das reservas do BdeP, o facto mais saliente é ser o Estado («Administrações públicas») o grande responsável pelo sucessivo e consistente agravamento da dívida ao exterior nos últimos 10 anos.

Sem comentários: