Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

06/10/2012

SERVIÇO PÚBLICO: Gente que trabalha para pagar os juros, as greves e as manifs

Com compreensível satisfação, o responsável pela Intergal, exposição do sector agroalimentar na Batalha, salientou que este sector «exportou em 2011 cerca de 4 mil milhões de euros e representa mais de 60% de mão-de-obra».

Poderá ser um pouco exagerado, porque em 2011 as exportações totais da classe «produtos alimentares e bebidas», que inclui outros produtos, foram 4,1 mil milhões (fonte: INE), em qualquer caso, o sector agroalimentar mão-de-obra intensivo terá representado perto de 10% das exportações totais de bens.

Gente com tomates
Valha-nos a virilina destes produtores que produzem para a exportação para compensar os queixumes e a songamonguice de muitos outros.

Sem comentários: