Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

04/10/2012

A redenção dos bispos

Depois de as nossas pobres células cinzentas terem sido agredidas várias vezes por um bispo das Forças Armadas e pelo menos uma vez por um bispo vermelho, tivemos direito a um lenitivo pela palavra lúcida de outro bispo. O bispo de Lisboa, o cardeal patriarca, exprimiu em entrevista à rádio Renascença, este pensamento sensato, porque o bom senso seria suficiente para perceber o drama do colectivismo atávico, e corajoso, porque ao arrepio da cobardia endémica nas nossas elites merdosas, sempre a dar graxa ao pior da nossa cultura:
«Os portugueses são em parte responsáveis pelo que se está a passar, porque têm um conceito de vida em comunidade em que o Estado tem obrigação de tudo. Pedem-lhe tudo.»

2 comentários:

Anónimo disse...

Eu acho que é um politiqueiro sem vergonha. Atente-se às suas decisões passadas.
eao

Anónimo disse...

Pois é, o que parece é que ele já deve estar farto dos pobres que pedem à igreja, que nem sequer agradecem.

tina