Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

27/10/2012

DEIXAR DE DAR GRAXA PARA MUDAR DE VIDA: Terapêutica para o «burnout» estudantil

Segundo o estudo do Instituto Superior de Psicologia Aplicada «Burnout em Estudantes Universitários: Determinantes e Consequências», estes «vivem angustiados … e o rendimento académico está a baixar, levando-os por vezes a recorrer a drogas e álcool ... apresentam níveis elevados de exaustão física e emocional e estão também desmotivados

Baseado numa longínqua experiência universitária, minha e de amigos e colegas, alinhei uns quantos conselhos aos estudantes universitários angustiados, exaustos e desmotivados:
  • Começar por apagar das tenras meninges o termo burnout - sem um nome a coisa perde logo importância;
  • Levantar todos os dias às 6:30 horas;
  • Frequentar apenas aulas das 8 às 10H;
  • Trabalhar das 10:30 às 18:30 com um intervalo de 30 m para morder uma bucha;
  • Estudar umas 2 ou 3 horas por noite;
  • Usar as férias no emprego para preparar os exames.
Se no final do 1.º período persistirem os sintomas, aumentar gradualmente as horas de trabalho e de estudo.

Sem comentários: