Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

15/12/2010

SERVIÇO PÚBLICO: Ligações perigosas

Santos Ferreira, notório homem de mão do PS, actual presidente do BCP e executor da estratégia de assalto ao banco, agora envolvido nos leaks da Wikileaks como tendo alegadamente oferecido os seus serviços de espionagem à embaixada americana, é o mesmo Santos Ferreira que 20 anos antes era presidente da Fundição de Oeiras a qual alegadamente violou o embargo e vendeu munições ao Irão, como ele próprio terá alegadamente admitido. O parágrafo do cable de 12 de Fevereiro deste ano publicado por El País é o seguinte:

«(C/NF) Early last year, the Iranian Embassy in Lisbon contacted Ferreira, who had previous contact with that embassy while serving as Chairman of the Board of Directors of Oeiras Foundation (1987-1989), a state entity that he says sold munitions to Iran more than 20 years ago. Millennium Bank advised Prime Minister Socrates and senior government officials, including the governor of the Bank of Portugal (Portugal's central bank), of Iran's interest in establishing a relationship with Millennium and having Millennium officials visit Iran for meetings.»
[A troca de «Fundição» por «Foundation» é obviamente um erro do autor do cable possivelmente pouco familiarizado com as armadilhas da língua portuguesa.] 

Já não estamos a falar das opiniões dos diplomatas americanos sobre os políticos portugueses, estamos a tocar no nervo.

Sem comentários: