Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

12/12/2010

Por falar em corrupção

O caso Face Oculta pode estar a caminho de ser arquivado. No verão, a dupla Noronha do Nascimento e Pinto Monteiro, respectivamente presidente do Supremo Tribunal de Justiça e Procurador-geral da República, mandou destruir as escutas envolvendo José Sócrates. Depois, no inverno, Ricardo Sá Fernandes (who else?), advogado de Paulo Penedos, requer a nulidade das escutas com o fundamento que «qualquer escuta que não seja transcrita tem que ser conservada até ao final do processo, para os arguidos poderem exercer os direitos de defesa» (jornal SOL). Resultado bastante provável: como as escutas são praticamente as únicas provas de corrupção existentes, a acusação fica reduzida a nada e o julgamento não chega sequer a realizar-se.

Melhor é impossível.

Sem comentários: