Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

07/12/2010

Lost in translation (72) – classe média baixa? vai-lhes pagar com o dinheiro da venda das ilhas?

O vice-rei dos Açores anunciou o mês passado que vai pagar um subsídio equivalente à redução de salário aprovada pela lei do orçamento aos funcionários públicos dessas ilhas com salários entre 1.500 e 2.000 euros brutos por mês. Explicou este mês que isso «não custa um cêntimo» aos contribuintes e constitui um «apoio a um grupo de funcionários públicos da classe média baixa» e aproveitou para picar o vice-rei das outras ilhas, recordando que nas ilhas dele não se gastam 70 milhões em estádios de futebol.

Em 2008 a remuneração base média em Portugal (Fonte: Pordata) era 843,2 euros. Quando o homem diz que quem ganha 1,8 a 2,4 vezes essa remuneração pertence à «classe média baixa» quererá ele dizer que a «classe média baixa» das ilhas é a classe média alta do continente? Quando o homem garante que a coisa «não custa um cêntimo» quererá ele dizer que a coisa será paga com dinheiro da venda das ilhas?

Sem comentários: