Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

13/12/2010

Lost in translation (76) - the other way around

Em entrevista ao ionline, Mário Soares identificou como «problema mais grave» resultante da crise «o Estado ficar sem meios para pagar às pessoas». Como é seu costume, confundiu-se. O problema mais grave resultante da crise são as pessoas ficarem sem meios para pagar ao Estado.

Continuando a confundir-se, Mário Soares acusou «Merkel e Sarkozy (que) pensam apenas nos seus Estados e não no projecto europeu», mas não acusou Zapatero e Sócrates de pensarem apenas em transferir o risco das dívidas dos seus Estados para os Estados de Merkel e Sarkozy. Sem querer esgotar todas as confusões de Mário Soares, destaco «o erro colossal que … nos vai… sair muito caro», mais do que o erro de Merkel e Sarkozy é o erro do governo português ao procurar «propostas muito interessantes, da China, que se manifestou disposta a comprar uma parte da nossa dívida».

Sem comentários: