Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

17/12/2010

Estado empreendedor (39) - as estratégias do governo são tácticas falhadas

Se bem se lembram, o governo representando o accionista Estado detentor duma golden share na PT vetou a venda da Vivo à Telefónica por razões estratégicas. Essas razões estratégicas evaporaram-se e passou a ser estratégico comprar uma participação na Oi que seria paga com o produto da venda da Vivo. Em Agosto, já coisa estava toda combinada entre José Sócrates e Lula Silva, faltava só assinar os papéis.

Aquele era o guião, mas nos filmes produzidos pelo governo o guião não guia. A coisa foi derrapando e a compra de 23% da Oi (com os 50% da Viva menos os dividendos antecipadamente distribuídos aos accionistas, torturados pelo dilema patriótico de aproveitar ou não o regime fiscal mais benévolo de 2010) ficará para Janeiro ou quando a baderna accionista da Oi quiser. Entretanto, a Bernstein Research considera que a PT valeria mais sem a Oi e a JPMorgan revê em baixa a PT.

Sem comentários: