Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

11/12/2010

DEIXAR DE DAR GRAXA PARA MUDAR DE VIDA: o ovo ou a galinha?

Não nos iludamos, os factores de atraso em Portugal que constituem o maior travão ao desenvolvimento sustentado levarão uma geração ou duas a superar. É o caso da pouca qualificação da mão-de-obra: 59% dos novos empregos criados no 2.º trimestre foram preenchidos por trabalhadores não especializados sem o ensino secundário, contra 50% na Espanha, 43% na Itália e 37% na Grécia. É claro que existem esses empregos de baixa qualificação porque as actividades ainda oferecendo emprego são de baixa intensidade tecnológica o que, só por si, constitui outro factor de atraso e, a par da pouca qualificação, gera uma espécie do dilema ovo ou galinha.

E não é com a mistificação das Novas Oportunidades, consistindo na criação de pretextos para atribuir diplomas, que será superada a falta de qualificação da mão-de-obra.

Sem comentários: