Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

26/05/2016

E se Donald Trump que já é quase inevitavelmente o candidato republicano vier a ser o próximo presidente dos EU?

Continuação disto e daquilo.


Se for assim, isso significa:
  • Há sempre soluções em democracia;
  • Depois da democracia vem a demagogia e depois da demagogia vem a tirania; 
  • O povo nunca se engana;
  • A escolha de um presidente é demasiado importante para ficar nas mãos dos eleitores;
  • Temos de respeitar as escolhas democráticas;
  • Idem, mas só quando os eleitores fazem as escolhas certas;
  • Não significa nada. É só estatística;
  • Não é nada disso;
  • Não sei;
  • Não respondo.

1 comentário:

Anónimo disse...


Escolho a opção 4 ("A escolha de um presidente é demasiado importante para ficar nas mãos dos eleitores") na condição de também concordar que a "gestão da banca é demasiado importante para ser deixada nas mãos dos privados").

Agent Provocateur