Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

15/05/2016

CASE STUDY: Câmara de Lisboa, uma aplicação prática da lei de Parkinson (4)

Parkinson na câmara de Lisboa.

Desta vez é a lei da multiplicação do trabalho de Parkinson aplicada com a ajuda da agenda LBGTI (atenção do “I”). Trata-se do Plano de Acção 2014-2017 do Pelouro dos Direitos Sociais da câmara municipal de Lisboa, um elenco de 26 densas páginas grávidas de 249 acções, incluindo umas dezenas da agenda LBGTI, arrumadas em 50 missões, organizadas em 21 objectivos, alinhadas em 3 eixos. Como teaser, aqui vão alguns exemplos de acções:
  • 10.a.1.1. Assinalar datas relevantes na área da Orientação Sexual e Identidade de Género (17 de Maio, 28 de Junho).
  • 10.a.1.3. Organizar sessões de sensibilização sobre Orientação Sexual e Identidade de Género para as comunidades educativas. 
  • 10.a.1.5. Apoiar as organizações representativas das pessoas LGBTI.
  • 10.a.2.1. Promover o acesso à habitação das pessoas lésbicas, gay e bissexuais (LGB).
  • 10.a.2.4. Organizar um concurso escolar sobre a diversidade sexual.
  • 10.a.3.1. Combater a invisibilidade social das pessoas Trans e Intersexo.
  • 10.a.3.2. Apoiar as pessoas Trans e Intersexo no procedimento de mudança de nome e sexo no registo civil.
  • 10.a.3.4. Realizar um diagnóstico de identificação das necessidades específicas das pessoas Trans e Intersexo.
  • 10.a.3.2. Apoiar as pessoas Trans e Intersexo no procedimento de mudança de nome e sexo no registo civil.
  • 10.a.3.4. Realizar um diagnóstico de identificação das necessidades específicas das pessoas Trans e Intersexo.
A minha acção favorita é «Combater a invisibilidade social das pessoas Trans e Intersexo».

Se quando Costa tomou posse já andavam pela câmara uns dez mil apparatchiks, hoje, passados 9 anos, com o herdeiro Medina, a capacidade de manutenção de tenças mantém-se (ver quadro seguinte extraído do Mapa de Pessoal 2016). É uma tença por cada 55 residentes - o dobro de Madrid ou Barcelona.


Imaginemos as hordas de apparatchiks que este Plano de Acção pode ocupar dos 2.216 lugares cativos.

2 comentários:

Unknown disse...

Obediência total à voz,"importada", do dono : para estas paneleirices nunca faltarão dinheiro ou "disponibilidades"...
Mas a ofensiva é extensiva a toda a Ibéria - uma espreitadela além Caia basta para ver a herança zapaterista a ser posta em prática ( por enquanto sob forma tentada ) pelos "pablemos"...
Espera-se que o 26J desfie a meada...ou não - como diria D.Mariano...

Anónimo disse...

Ninguém quer ser puta sózinha. Provérbio portuga.