Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

01/05/2016

ACREDITE SE QUISER: Deve ser isto que chamam República de Juízes

«Em Modena, Itália, um pai foi condenado a continuar a sustentar financeiramente o filho, (…)
Acontece que o homem de 28 anos demorou vários anos a completar a licenciatura em Literatura e preparava-se agora para abraçar uma nova experiência universitária — uma pós-graduação em cinema experimental. O pai disse “basta”. Era tempo de arranjar um emprego. Ao menos um part-time, pedia o progenitor, cujo nome não foi revelado por razões de confidencialidade. O tribunal não lhe daria razão. O juiz de Modena considerou que o curso de cinema experimental alimentava “as aspirações pessoais” do jovem adulto e que, portanto, os estudos deveriam continuar a ser suportados pelo pai.» (Observador)

Este é apenas mais um pequeno sinal da decadência de uma Europa decrépita, anestesiada pelo conforto, envelhecida e com os bárbaros às portas.

2 comentários:

Lura do Grilo disse...

Já não é um primeiro caso! Não admira que cada vez menos pessoas queiram ser pais!

Anónimo disse...

Quando tinha 23 anos, e estava a cerca de um ano de concluir uma licenciatura, meu Pai morreu. Não interrompi o curso. Fui trabalhar para sustento próprio, da Mãe e da Irmã.
A um chulo de um filho destes eu dava um sustento de porrada todos os dias.