Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

11/10/2014

A atracção fatal entre a banca do regime e o poder (25) – Um trilema

[Mais atracções fatais]

Para uma seguradora, agora comprada pelo Fundo Apollo, que se encontrava há anos a caminho da insolvência (recorde-se por exemplo aqui ou aqui), receber todos «estes os prémios, atribuídos por consumidores e entidades independentes», que cobrem um período que vai de de 2004 a 2014, só pode significar que ou bem estes prémios (em particular o do «Reputation Institute», atribuído precisamente nos anos em que existem forte indícios que a Tranquilidade só se mantinha flutuar com muito ar soprado nas contas), valem o que valem, como diz a nossa classe política para dizer que as coisas em causa não valem nada, ou bem que o Dr. Ricardo Salgado merecia o prémio «O Grande Mistificador» pela sua carreira, ou bem que os prémios valem o que valem e o Dr. Salgado também.


Sem comentários: