Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

15/11/2013

O tigre celta e o tareco lusitano (3)

Sequela de (1), por sua vez sequela de O rugido do tigre vs o miado do gato, e de (2)

«Gastámos muito tempo a ganhar a liberdade para gerir os nossos próprios assuntos. E não faz muito sentido ter liberdade política, se não se tem liberdade económica e financeira. Isto restaura a liberdade económica e financeira», disse o ministro das Finanças irlandês Michael Noonan antes de informar o Eurogrupo que no próximo mês, quando terminar o programa de resgate da troika, a Irlanda passará a financiar-se nos mercados sem qualquer apoio.

Acrescentou que, apesar de não ter ficado feliz por a troika aterrar em Dublin, «ajudaram muito, e foram pessoas muito simpáticas. Creio que quando a história for escrita eles serão vistos como tendo ajudado muito

Entretanto, o tareco lusitano continua a discutir se pede outro resgate, se não paga a dívida, se pede um programa cautelar, ainda que não saiba bem o que isso seja.

É oportuno recordar, agora que a Irlanda está a sair do resgate, as palavras de há dois anos do grande pensador do regime Freitas do Amaral, actualmente atrelado ao Dr. Soares na defesa do manual de direitos adquiridos: «A Irlanda, hoje, não é exemplo para ninguém».

Sem comentários: