Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

19/11/2013

Lost in translation (191) – A ministra das Finanças poderia ter sido minha colega no 2.º governo de Guterres, escreve Manuela Arcanjo por outras palavras

«Num grau superior de delírio estará a afirmação da ministra das Finanças sobre a exequibilidade de Portugal sair do actual resgate financeiro à semelhança da Irlanda, sem qualquer apoio ao financiamento no mercado. Ora, apenas não teremos um segundo resgate pelo facto de a Troika necessitar de isolar o insucesso grego. Mas teremos um qualquer programa cautelar que exigirá a continuidade da austeridade

É certo que a probabilidade de o tareco sair pela mesma porta do tigre celta é relativamente modesta, mas que diabo! qual é a autoridade para falar de delírios de uma antiga ministra dos governos de António Guterres que aumentaram em 6 anos as despesas correntes em 50% a preços correntes e em 23% a preços constantes?

Sem comentários: