Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

22/11/2013

ESTADO DE SÍTIO: Democracia, legitimidade e eleições são como, se e quando eles quiserem, respectivamente. Voilà.


«Vamos pegar na nossa criatividade, energia e imaginação e vamos fazer-lhes frente até que sejam corridos.» «Não são cortes nem poupanças o que estão a fazer. São roubos o que eles estão a fazer. A violência é legítima para pôr cobro à violência.» Helena Roseta, presidente da AM de Lisboa


«Estamos aqui em legítima defesa colectiva da Constituição perante a agressão das políticas do Governo.» Pedro Silva Pereira, dirigente do PS

«Estamos a caminho de uma nova ditadura». «É preciso ter a consciência de que a violência está à porta. Com um Governo completamente paralisado e sem rumo, que não dialoga com o povo, e um Presidente da República que só pensa em manter o seu partido, estamos todos dias a criar o desespero e a violência. É por isso que digo que o Presidente e o Governo devem demitir-se.» Mário Soares, ex-presidente da República

«Eles ou saem enquanto têm tempo ou qualquer dia, como dizia há uns dias em Alcaçovas, vão ser corridos à paulada, se não for pior». «Capitão de Abril» Vasco Lourenço

«Não, os que aqui estão não estão a defender coisa nenhuma mas a atacar. A iniquidade, a injustiça, o desprezo, o cinismo dos poderosos para quem a vida decente de milhões de pessoas é irrelevante, é entendida como um custo que se deve poupar.» José Pacheco Pereira

Exortações de verdadeiros democratas na conferência «Em defesa da Constituição, da Democracia e do Estado Social» que terminou com o Hino Nacional.

«Está na hora do Governo ir embora.» «A polícia unida jamais será vencida». Palavras de ordem dos polícias em manifestação frente à Assembleia da República

Memo to the file: «Mas que tal se os meus críticos se pronunciassem … sobre esta fabulosa arrogância que é considerar que as eleições só são boas, dignas e “livres” quando o “povo” vota em nós? Sobre a acusação ao “povo” que é “feio, porco e mau” quando não vota à “esquerda”?» (José Pacheco Pereira em Janeiro de 2006).

Sem comentários: