Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

03/11/2013

Lost in translation (190) – A nossa dignidade mede-se pelo vil metal, queriam eles dizer

A «grave deterioração do estatuto remuneratório … poderá por em causa a dignidade exigível ao exercício» da função dos juízes, deliberou o Conselho Superior da Magistratura.

Não será um bocadinho preocupante esta conversa fiada da dignidade e as dificuldades de chamar os bois pelos nomes? Enfim, se todas as corporações se declararem com estes problemas, teremos mais um princípio constitucional e um dilema: a) corporações indignas ou b) Estado definitivamente falido. Em última instância, teremos de escolher uma indignidade - a das corporações ou a do País ou ambas. Decidam-se.

Sem comentários: