Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

02/03/2017

ESTADO DE SÍTIO: É mais o que os divide do que o que os separa

«Quando o confronto político é estruturado pela competição entre dois modelos de sociedade contrastados - por exemplo, entre economia de mercado e economia estatizada, mas também poderia ser entre religiões - tem justificação falar-se de bipolarização, contrastando os partidos à direita com os partidos à esquerda, deixando de existir a zona central. Mas se o confronto político for estruturado pela necessidade de ocultar os erros que têm sido cometidos, na esquerda e na direita, quando cada um desses segmentos tenta implantar os modelos de sociedade que defendem, deixa de haver competição e a bipolarização é falsa, serve para esconder e não para revelar, muito menos para decidir e construir.

O que estrutura o debate estratégico em Portugal é a necessidade de esconder os erros - dos que nacionalizaram e dos que privatizaram, dos que distribuíram e dos que endividaram, dos de esquerda e dos de direita, dos do BES e dos da CGD. Esquerda e direita são sombras que escondem os corpos ou são rótulos que enganam sobre o que é o conteúdo

«A bipolarização falsa», Joaquim Aguiar no Negócios

Depois admirem-se com a ascensão do populismo e da demagogia, dos Trump e das Le Pen.

Sem comentários: