Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

07/03/2017

ARTIGO DEFUNTO: «Universidade de Harvard vai estudar a geringonça»

Fica-se esmagado, ou pelo menos amarrotado, com o título fabricado pelo Diário de Notícias, um jornal que está para o regime sucialista como o desaparecido Diário da Manhã estava para o falecido regime salazarista. Pensa-se num curso em Harvard, ao menos numa nova disciplina dedicada à geringonça, talvez numa equipa de investigação composta por luminárias para dissecar o zingarelho, que sei eu.

Não. Nada disso. Trata-se apenas do convite ao politólogo António Costa Pinto para participar numa conferência, com dois painéis de 2 horas cada, organizada em 11 de Abril pela Universidade Harvard sobre o tema «Is There a Future for the Left in Europe?».

Segundo o politólogo disse ao DN, a geringonça «não é exportável» - felizmente para outros povos, como o espanhol, acrescento eu - aparentemente com pena sua porque «após uma grande incerteza expressa por observadores políticos e pela UE (para não falar das agências de rating) face à aliança (...) os objetivos difíceis impostos por Bruxelas são cumpridos.»  Pelos vistos Costa Pinto não teve tempo de estudar o milagre de Teodora que, como escreveu ontem o Pertinente, foi conseguido à custa de muita oração do ministro das Finanças (perdão fiscal, cativações, enorme redução do investimento e outros pequenos golpes).

Sem comentários: