Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

28/03/2017

ACREDITE SE QUISER: Aleluia! O Senhor seja louvado! Eles tiveram uma epifania e viram a Luz?


Ainda estou aturdido. Na visita ao Insurgente este vosso escriba deparou-se com a reprodução de um surpreendente, inacreditável e esotérico post de Porfírio Simões de Carvalho e Silva, Doutor em Epistemologia E Filosofia Das Ciências e emérito ideólogo do Costismo, louvando a contenção orçamental, reprovando os défices e demonizando a dívida, numa palavra, exaltando a austeridade.


Podemos, com boa vontade, reconhecer alguma razão ao Doutor Centeno quando contestou a classificação de Teodora Cardoso, presidente do CFP, do défice de 2,1% como milagre. Milagre, verdadeiro milagre, é o que escreveu o Doutor em Epistemologia E Filosofia Das Ciências. O défice de 2,1% (ou 2,06%, se quisermos ser rigorosos) é apenas prodigioso.

Sem comentários: