Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

18/03/2017

COMO VÃO DESCALÇAR A BOTA? (9) - Entradas de leão podem dar saídas de sendeiro com o chapéu na mão

Outras botas para descalçar.

Um dia destes, Wolfgang Schäuble, o ministro alemão das Finanças, conhecido por não usar rodriguinhos e figuras de estilo, aconselhou o governo a certificar-se de que «não precisam de resgate». Um sábio conselho dirigido ao governo de um país que nos últimos 40 anos já teve três e que qualquer observador atento percebe poder estar a caminho do quarto.

Costa poderia ter agradecido o conselho. É claro que isso comprometeria a farronca com que se apresenta no teatro doméstico com claque garantida, pelo que poderia aceitar-se o seu silêncio.

Em vez disso, Costa respondeu como se estivesse num comício, enaltecendo os resultados da sua recente obsessão pelo défice, e rematou «Estes são os números. E contra factos não há argumentos».

Fonte: IGCP
Por sorte, Schäuble nunca virá a saber o que Costa diz aos jornalistas nas inaugurações e por isso não lhe irá atirar à cara a farronca quando ele se dirigir de chapéu na mão a Bruxelas, a Frankfurt ou Berlim a pedir o donativo.

Sem comentários: