Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

14/02/2017

Lost in translation (285) - Erro de percepção, disse um. Tecnicamente nunca mentiram, disse o outro

Na conferência de imprensa onde, mais uma vez, tentou lançar poeira para os nossos olhos, o ministro Centeno para designar não ter dito a verdade e ter dito o seu contrário sobre os compromissos que assumiu com Domingues, agora perfeitamente evidentes, traduziu «mentira» por «erro de percepção», talvez esperando que quem o escute ou leia tenha um «erro de percepção».

Quem seguramente teve um erro de percepção foi o jornalista/militante/comentador/analista, ex-comunista, ex-Plataforma de Esquerda, ex-Política XXI, ex-bloquista, ex-Livre, ex-Tempo de Avançar, futuro ex-geringonça (sim, tudo isso numa só encarnação), que elaborou o conceito de mentira técnica para concluir que Centeno (e Mourinho Félix) «tecnicamente nunca mentiram». Se o ridículo fosse mortal teríamos, de uma assentada, uma criatura em perigo de vida (Centeno) e outra em perigo de morte (Oliveira).

1 comentário:

Anónimo disse...

Hoje, a marijuana deu-lhe forte...