Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

08/02/2017

AVALIAÇÃO CONTÍNUA: O governo de Netanyahu é o melhor aliado do Hamas (3) ou como manter os inimigos e alienar os amigos

Este post é uma espécie de sequela deste e deste.

Secção Tiros nos pés

Na 2.ª Feira o Knesset, o parlamento israelita, aprovou uma lei autorizando retroactivamente o governo a expropriar terra palestina privada na qual foram construídos colonatos. Pela primeira desde 1967, Israel decidiu aplicar a lei israelita à Cisjordânia ocupada o que poderá alterar a situação de cerca de 4.000 habitações construídas em terras palestinas. Ainda há a possibilidade de o Supremo Tribunal revogar a lei, o que, se acontecer, agravará as tensões entre o sistema judicial de Israel e o sistema político, fortemente influenciado pela direita religiosa fanática. (fonte)

Para Netanyahu e os seus correlegionários, uma vez mais, cinco chateaubriands, por continuarem convencidos que o pior para os palestinos é o melhor para Israel e cinco bourbons por aí continuarem encalhados.

Sem comentários: