Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

28/02/2017

ACREDITE SE QUISER: Número de novos transexuais no ano n = K.Potência(2;n)

«St Paul's Girls', uma escola sofisticada com mensalidades elevadas no oeste de Londres, está frequentemente no topo do ranking dos resultados dos exames. Agora é notícia por outra razão: a publicação de um novo "protocolo de identidade de género do estudante" que permite que alunas com mais de 16 anos usem roupas de rapazes e sejam conhecidos por nomes de rapazes. Embora a escola não aceite rapazes, está feliz por apoiar os alunos existentes que desejam mudar de sexo, explica Clarissa Farr, a principal professora da escola. Cresce o número de alunas, diz, que não se sentem como meninas.

As escolas estão frequentemente na linha de frente da mudança social, mas raramente essa mudança chega tão rapidamente. A Sociedade de Pesquisa e Educação em Identidade de Género, uma instituição de caridade, estima que o número de crianças que se identificam como transexuais na Grã-Bretanha está dobrando a cada ano. Mermaids, uma organização que apoia crianças transgénero, recebeu 600 telefonemas em 2014 e 3.000 no ano passado. A maioria das crianças identificam-se simplesmente com outro género ou com nenhum; uma minoria iniciou o tratamento médico para mudar de sexo

Excerto de «How British schools are adapting to growing numbers of transgender pupils»

Em tempos a Economist tratava simplesmente de temas sérios. Gradualmente foi sendo infiltrada por militantes do politicamente correcto e hoje dedica-se cada vez mais à temática do «género» a pretexto de promover a tolerância.

5 comentários:

Anónimo disse...

The Economist: durante muitos anos (desde meados dos anos 80, no início da adolescência, até ao dealbar deste século) fui assinante e leitor fervoroso. Mas deixei-me disso já há alguns anos, exactamente pelo que refere.

Não há dúvida que o Marxismo cultural Gramsciano venceu: está nas nossas mãos dar a volta, deixando que a MSM seja guiada para o sítio que merece - a sarjeta.

CENSURADO AGAIN disse...

IRRESPONSAVEL METER HORMONIO PRECOCE EM CRIANÇAS ISSO É LOBBY PEDOFILO PRA DEIXA-LAS MADURAS ANTES DO TEMPO COM CABEÇA OCA TODA CRIANÇA QUER SER ASTRONAUTA BOMBEIRO ETC E NEM POR ISSO NINGUEM ALISTA ELA NA NASA OU DEIXA ELA IR APAGAR INCENDIOS TOTAL NON SENSE É SÓ UMA FASE

CENSURADO AGAIN disse...

PAI QUERO SER ASTRONAUTA TA BEM VAMOS MANDAR VC AMANHÃ PRA ESTAÇÃO ESPACIAL OU PRA LUA OU PRA MARTE

Unknown disse...

And, all of a sudden...Rothchilds.
Há futuro no negócio do "gender" - sim,que a natureza, isto é ,"sex", foi criminalizada...

Anónimo disse...

Transsexualidade é quando uma pessoa que nasce com um sexo pretende mudar para o sexo oposto.
Os transgéneros não existem, é uma ideologia inventada pelo Marxismo Cultural para criar confusão na cabeça das pessoas e das crianças. Começaram por destruir o casamento, depois a família e agora o indivíduo. O lema da Esquerda é "dividir (destruir) para reinar".
Assinem, vejam o vídeo que está à direita da imagem e divulguem:

http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=ideologiadogenero