Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

17/02/2017

O ruído do silêncio da gente honrada no PS é ensurdecedor (147) – Abaixo de trumpada

Se as acções e a «doutrina política» de Donald Trump, o seu desprezo pela verdade e os seus «factos alternativos», são para a esquerdalhada em geral e o PS em particular motivo das maiores indignações, o que dizer quando confrontamos as seguintes duas realidades?

  • Menos de um mês depois de ter sentado na ala ocidental da Casa Branca no seu gabinete de assessor de segurança nacional de Trump,  Michael T. Flynn foi forçado a demitir-se ao ser confrontado com umas estórias mal contadas sobre conversas com o embaixador russo.
  • Durante mais de 6 meses, um ministro de Costa, confrontado com meias-verdades, meias-mentiras, falsidades e omissões no parlamento sobre as excepções à lei que aceitou como condição de nomeação do presidente de um banco público, disse numa conferência de imprensa que se tratava de um «erro de percepção mútuo». Pelo seu lado, o primeiro-ministro e vários dignitários socialistas classificaram a coisa de «tricas» e, em conjunto com os seus parceiros de geringonça, impediram a leitura de SMS do ministro que permitiriam esclarecer o erro de percepção mútuo. 
O que dizer? É abaixo de trumpada.

1 comentário:

Vladek disse...

É mas é uma TRAMPAda.