Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

06/02/2017

ACREDITE SE QUISER: O soft Brexit alemão

«A Grã-Bretanha foi sempre muito racional na defesa dos seus interesses, apesar do Brexit ter sido apenas a segunda decisão mais inteligente. Para nós é clara a prioridade de manter a Europa unida. (... ) não queremos punir os britânicos pela sua decisão.

Queremos manter o Reino Unido perto de nós. O centro financeiro de Londres, por exemplo, serve a economia europeia como um todo. Londres oferece serviços financeiros de qualidade que não encontramos no continente. Embora a situação mude alguma forma depois da separação, devemos encontrar regras razoáveis na relação com o Reino Unido.»

Talvez surpreendentemente para quem tenha uma ideia estereotipada de Wolfgang Schäuble, o ministro alemão das Finanças, a citação é de uma sua entrevista ao jornal Der Tasspiegel

Sem comentários: