Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

07/02/2017

Dúvidas (186) - «Como é que a “geringonça” pode algum dia governar o país, se gasta o tempo todo a governar-se a si própria?»


É a pergunta que João Miguel Tavares faz no Público depois de ter lido o que a Fitch escreveu no seu relatório: «Até ao momento, o sr. Costa tem um bom historial a gerir as diferenças entre os partidos, o que assegura estabilidade política. Contudo, o problema é que há pouca capacidade para aplicar reformas estruturais ambiciosas em outras áreas da política económica.»

Exagero? Parece que não. Segundo confessou Pedro Nuno Santos, o azeitador do PS encarregado de olear as engrenagens da geringonça, «há dias em que temos 14-15 reuniões num só dia. Em simultâneo há três, quatro reuniões, com diferentes partidos e diferentes ministros.»

Sem comentários: