Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

22/02/2017

DIÁRIO DE BORDO: Senhor, concedei-nos a graça de não termos outros cinco anos de TV Marcelo (30)

Outras preces.

Só hoje me dei conta do espectáculo, certamente deprimente, que o Presidente Marcelo voltou a oferecer aos seus cada vez menos admiradores (perdeu 4,2% de share desde a última performance como comentador no final de 2015), voltando à TVI (onde foi feliz, costuma acrescentar-se) para se submeter a avaliação por quatro figurões a fazerem de "comentadores" e entre eles o actual presidente da câmara de Lisboa.

Evaporam-se os últimos resquícios de bom senso e lucidez e confirma-se o diagnóstico de Bruno Alves, o politólogo encarnado psicanalista. «Como qualquer pessoa com dois dedos de testa percebe, a coisa acabará mal para Marcelo (...)  o problema está em que ninguém sabe o que vem a seguir. É por isso que Marcelo e a sua presidência são um perigo para este pobre país.»

Sem comentários: