Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

14/04/2016

TRIVIALIDADES: Zangam-se as comadres da geringonça, descobre-se o que pensam uns dos outros (2.º episódio da 1.ª temporada)

A coisa não ficou por aqui. Depois do Camarada Jorge Cordeiro do CC do PCP ter insultado no Pravda Avante a Camarada dele, Simplesmente Marisa, João Semedo, o ex-membro do género masculino do ex-casal coordenador do Bloco de Esquerda, qual cavaleiro branco vermelho, envergou a armadura, montou o alazão, segurou o escudo, sobraçou a lança e saiu em defesa da sua dama «engraçadinha».

João, Sem Medo, entrou a matar com um título que na boca dele terá sido o maior insulto ao Camarada de Luta Jorge Cordeiro que lhe ocorreu: «Nasceu um novo Pedro Arroja». E escreve, lamuriento, «com tanto corrupto, reaccionário e liberal à solta por aí, com tanta direita a exigir duro combate, não há no PCP quem diga ao Jorge Cordeiro para escolher melhor os seus alvos?».

Será o fim de um casamento de conveniência? Espera-se uma intervenção do padrinho Costa e aguarda-se impacientemente novos episódios.

Declaração de interesse:
Nunca fui acusado de corrupção, fui acusado raramente de reaccionário e mais frequentemente, como sinónimo, de liberal. Permito-me discordar de João Sem Medo no que respeita à abundância desta última classe de criaturas, cuja raridade neste nosso Portugal colectivista nem daria para formar um partido do táxi.

Sem comentários: