Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

06/04/2016

A maldição da tabuada (30) – O multiplicação dos votos


Depois de apurados os resultados das primárias em cerca de 3/4 dos estados americanos, Bernie Sanders, o único candidato que se declara socialista - na Europa seria um social-democrata moderado -, pelas minhas contas terá conseguido até agora cerca de 5,5 milhões de votos democratas (resultados por Estado no Politico), bastante menos do que Hillary Clinton, a sua adversária para a nomeação pelo Partido Democrata, e igualmente menos do que o candidato republicano «fascista» Donald Trump em relação ao qual Sanders teve menos votos na maioria do Estados e nalguns muito menos. No final, talvez Sanders venha a ter um pouco mais de 10% do total turnout das primárias.

Um título como o do Expresso Diário, num artigo a propósito da publicação de um livro promocional (“Why Bernie Sanders Matters»), é um exemplo das operações de multiplicação que se aprendem nos manuais do jornalismo de causas.

Sem comentários: