Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

19/03/2015

Dúvidas (84) - Terão os Estados Unidos uma política externa?

«US political dysfunction is having international implications in terms of its power. By refusing to pay its contribution to the IMF and refusing to agree on voting reforms to give China a bigger say, the US have given China a public relations free hand. Now, the AIIB is not just about the voting shares in the IMF, but it is one part of it and certainly makes it easier for US allies to defy it in that arena.»

Simon Baptist, Chief Economist and Asia Regional Director, EIU.

Sem esquecer o episódio do Bibi a discursar no Congresso sobre um componente essencial da política externa americana a convite do speaker republicano e sem esquecer a carta aberta escrita por vários senadores republicanos lembrando aos aiatolas que um acordo sobre o seu programa nuclear pode ser anulado pelo próximo presidente.

1 comentário:

JSP disse...

Novembro, 2008 : a maior parte da população votante americana demonstra que toma por realidade o que o "entertainment" lhe apresenta como tal...