Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

18/03/2015

DIÁRIO DE BORDO: Pensamento do dia

«Se não houver dois Estados haverá um; e, se só houver um, ele será árabe» disse o escritor israelita Amos Oz, comentando a recusa da solução de dois Estados por Bibi, na véspera do Likud ganhar uma vez mais as eleições.

Porquê? Houari Boumédiène, ministro da Defesa e mais tarde presidente da Argélia, explicou na década de 60 num discurso (salvo erro nas Nações Unidas) que a arma atómica dos árabes era o útero das suas mulheres.

1 comentário:

Anónimo disse...

A terceira força das eleições parece provar isso mesmo.

Só não concordo com forma à "Le Monde» como escreve o resultado das eleições. Quem ganhou foi o Likud. Se tivesse perdido, teria sido o Bibi a perder?

Agent Provocateur