Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

06/03/2015

A atracção fatal entre a banca do regime e o poder (28) - Já não damos mais para este peditório

[Mais atracções fatais]


«Gestores do BES e ESFG terão praticado 4 atos de gestão ruinosa e desobedecido a 21 ordens do Banco de Portugal» (Observador)

Depois de vai para 6 anos a pregar aos peixinhos escrevendo sobre as trafulhices do deus ex machina e das suas criaturas, agora que até nos cabeleireiros (e nos barbeiros, para não nos acusarem de porcos machistas) se elabora tão abundantemente sobre o BES, o GES, o Ricardo, a Comporta e o diabo a sete, enough is enough.

Os contribuintes do (Im)pertinências resolveram por unanimidade só voltar a escrever sobre este tema quando o tio Ricardo for julgado.

Sem comentários: