Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

05/03/2015

CASE STUDY: Um imenso Portugal (19)

[Outros imensos Portugais]

Com a taxa de inflação a ultrapassar os 7%, uma desvalorização do real em relação ao dólar de 6% em Fevereiro e o défice público em 6,7% do PIB, o Banco Central do Brasil está a ficar sem opções e irá provavelmente aumentar uma vez mais a taxa de juro BACEN SELIC que já está em 12,25%, depois de ter sido aumentada 3 vezes nos últimos 6 meses, aumento que não ajudará uma economia com contracção esperada de 0,5% em 2015.

Fonte: The Economist Espresso


Como foi e está a ser possível fazer ajoelhar um país com um potencial como o do Brasil? Simples, meu caro Watson. Basta entregá-lo a uma clique corrupta de socialistas tropicais.

Actualização:
A taxa Selic foi de facto aumentada meio ponto percentual para 12.75%.

Sem comentários: