Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

28/07/2012

ESTADO DE SÍTIO: Índice de intervencionismo (2)

Na sequência do cálculo do índice de intervencionismo, medido pelo número de decretos-leis publicados nos 6 primeiros meses de governação, resolvi recalcular esse índice considerando desta vez todas as ejaculações do órgão legislativo governamental, sob a forma de decretos-lei, decretos, decretos regulamentares e portarias no final dos primeiros 12 meses de governo central.

A contagem confirmou a mesma hierarquia da obsessão legiferante dos governos, com o governo em exercício a ser o menos interventivo. Valha-nos isso, porque o menos é mais, neste caso e em muito outros.

Sem comentários: