Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

12/07/2012

Como resolver o problema dos mineiros espanhóis?

Acossado pela necessidade de contenção orçamental, o governo espanhol pretender cortar 63% dos subsídios o que, segundo os mineiros, causará o fecho de minas de carvão nas Astúrias, Leão, Aragão e Castilha-Mancha.

Porque precisam as minas de carvão de ser subsidiadas? Porque os seus custos de produção são superiores aos preços de mercado actuais do carvão. Fixar preços administrativos para o carvão e construir novas centrais térmicas a carvão ou reactivando as encerradas, obrigando-as a utilizar o carvão dessas minas, além de não ser possível face às regras do mercado único, teria um impacto negativo no aumento dos custos de produção industriais que acabaria por ser transferido para os consumidores, sem falar da redução da competitividade das exportações espanholas.

É claro que a solução óbvia será encerrar as minas, pelas mesmas razões que não faria sentido para manter o emprego dos operários da construção civil, extorquir mais dinheiro aos contribuintes e subsidiar a construção de casas que ninguém compra. Em alternativa, sempre se pode desviar uma parte dos subsídios às energias renováveis para manter as minas de carvão abertas.

Entretanto, a manifestação de mineiros ontem em Madrid fez 76 feridos dos quais apenas 2 mineiros, segundo o insuspeito El País. De onde parece razoável concluir que a manifestação teria mais activistas variados, tais como maninfesteiros e profissionais da indignação, do que mineiros propriamente ditos.


Mineiras em acção (WSJ)

Sem comentários: