Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

17/07/2012

AVALIAÇÃO CONTÍNUA: Ir a buscar lana y volver trasquilado

Secção Albergue espanhol

Depois da experiência de 8 anos de governos socialistas a criar elefantes brancos por toda a Espanha, o governo Rajoy decidiu patrocinar a candidatura de Madrid aos Jogos Olímpicos de 2020 com o pressuposto que ajudará a recuperação económica e social e a combater o desemprego. Ora, como está bastantemente comprovado, até hoje nenhum «investimento» na organização de jogos olímpicos de inverno ou de verão, campeonatos regionais ou mundiais do que quer que seja se mostrou reprodutivo. O impacto na criação de emprego é temporário e usa competências que a seguir à festa não têm procura e o «investimento» em infraestruturas vem a revelar-se completamente inútil e incapaz de gerar retorno. Realizar estes eventos poderia ser substituído por uma fracção do preço por uma solução keynesiana, mais depurada e eficaz, como, por exemplo, contratar uns milhares de desempregados e indignados para abrir buracos nos baldios e de seguida tapá-los – à pazada para dar mais emprego.

Os nossos vizinhos estimam torrar 2 mil milhões de euros, possivelmente esquecendo que Londres começou com um orçamento de 6,7 revisto em 2007 para 11,8 e este ano para 14 mil milhões de euros. Os 2 mil milhões madrilenos a uma latitude mais a norte transformar-se-iam em 5 e dilatados pelo calor de Madrid e pela bazófia espanhola ainda irão bater nos 10 mil milhões de euros, assim haja dinheiro para torrar. Quem se mostrou mais assisado foi Mario Monti que retirou em Fevereiro a candidatura italiana. (Fonte: WSJ)

Nas olimpíadas do (Im)pertinências o governo espanhol ganha 5 chateaubriands por não fazer ideia do tiro que vai dar nos pés do povo espanhol e por, sendo um governo PP, fazer de conta que é um governo PSOE no seu pior. Rajoy ganha ainda 3 bourbons por isto e por aquilo mostrar não aprender nada.

Sem comentários: