Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

09/07/2012

CASE STUDY: Estava escrito nas estrelas


Há 8 anos, 5 anos antes da Zona Euro começar a dar sinais de implodir, escrevia-se aqui no (Impertinências):
Ainda que a teoria económica evidencie que uma zona monetária óptima deverá ter um sistema fiscal único, também é verdade que o «óptimo» da zona monetária depende igualmente duma forte mobilidade do capital e da mão-de-obra, e, todos sabemos, que esta última defronta gigantescas barreiras linguísticas, culturais e corporativas.
Oito anos depois, os dados do desemprego regional relativo a 2011, segundo os números do Eurostat, mostram uma variação numa proporção de 1 para 10, entre um mínimo de 2,5% e um máximo de 30,4%. Uma variação tão extrema não deixa dúvidas sobre a ausência de mobilidade da mão-de-obra e, consequentemente, a falha irremediável de um dos pés do tripé que poderia viabilizar a moeda única.

(Continua)

Sem comentários: