Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

12/01/2012

CASE STUDY: Portugal em pequenino (3)

Por muito que custe às elites ociosas reconhecer, quem continua a brilhar fora das capelinhas domésticas são os profissionais de profissões internacionalmente competitivas desconsideradas pelas luminárias.

No Dakar, Helder Rodrigues continua a segurar o 3.º lugar nas motas e Paulo Gonçalves caiu para o 7.º depois de ter ajudado Cyril Després a sair da lama e o francês o ter abandonado. Nos carros, Carlos Sousa subiu para o 6.º lugar apesar (ou também por causa?) do BMW disfarçado de chinês.

No futebol, o CR7 ficou apenas atrás da genial pulga argentina e Mourinho não ganhou outra vez porque o prémio foi para o treinador da melhor equipa do mundo. Last but not least, «a Liga portuguesa de futebol foi considerada a quarta mais forte do Mundo em 2011, à frente das Ligas francesa, alemã ou italiana, segundo a Federação Internacional da História e Estatísticas do Futebol (IFFHS)».

Ficamos à espera dos artistas subsídio-dependentes terem um reconhecimento comparável.

Sem comentários: