Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

09/01/2012

DIÁRIO DE BORDO: O divórcio da razão e da moral

«Considero que isto é mais uma demonstração daquilo que é a apropriação por parte das clientelas dos partidos do governo em relação a áreas importantes da nossa economia, onde o Estado ainda tem participação mas também do próprio aparelho do Estado», indignou-se o líder socialista António José Seguro com as nomeações para o conselho geral da EDP, uma espécie de «lista de agradecimentos de Passos Coelho», como lhe chamou Pedro Santos Guerreiro, incluindo Catroga, o elo de ligação ao cavaquismo, e Ilídio Pinho, o seu ex-patrão.


Seguro tem razão. O que não tem é moral para falar, por ter assistido num silêncio sepulcral à apropriação por parte das clientelas do PS em relação a áreas importantes da nossa economia.

Sem comentários: