Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

27/01/2012

Pergunta retórica

«O que distingue a escolha dos accionistas da EDP de Eduardo Catroga da dos accionistas do BANIF de Luís Amado?» pergunta Helena Matos.

Tudo. A começar pela EDP ainda fazer parte do núcleo duro das empresas do regime onde as nomeações se deveriam fazer pelo método de Hondt no Bloco Central e o Banif estar apenas na periferia, na zona das simpatias socialistas. A continuar por Eduardo Catroga ter sido ministro do PSD, andar há demasiado tempo no «privado» e ter um certo destempero verbal e Luís Amado ter sido ministro do PS, ser membro do seu secretariado nacional, nunca ter andado no «privado» e conseguir manter uma fleuma britânica. E a acabar porque ainda hoje são visíveis os resultados do excelente trabalho da central de manipulação socrática trabalhando sobre as inclinações naturais do jornalismo de causas.

Sem comentários: