Our Self: Um blogue desalinhado, desconforme, herético e heterodoxo. Em suma, fora do baralho e (im)pertinente.
Lema: A verdade é como o azeite, precisa de um pouco de vinagre.
Pensamento em curso: «Em Portugal, a liberdade é muito difícil, sobretudo porque não temos liberais. Temos libertinos, demagogos ou ultramontanos de todas as cores, mas pessoas que compreendam a dimensão profunda da liberdade já reparei que há muito poucas.» (António Alçada Baptista, em carta a Marcelo Caetano)

07/01/2012

ESTADO DE SÍTIO: Afinal sempre há uma folga

O ano passado a União Europeia, leia-se a Alemanha à cabeça e mais uns quantos contribuintes líquidos para o orçamento comunitário, enterrou neste país mais de 2 mil milhões de euros dos diferentes fundos. Foi o equivalente a 1,2% do PIB ao ritmo de 5,5 milhões de euros por dia.

É muito dinheiro? É sim senhor, sobretudo para quem teve de o desembolsar. Sendo muito, é uma gota de água no rio do serviço da dívida pública que, segundo as contas da UTAO, equipa que apoia a comissão parlamentar de Orçamento, vai este ano atingir 33,3 mil milhões ou mais de 20% do PIB. Como o superavit primário do OE não passa de 0,5% do PIB, será necessário emitir 33 milhões de dívida pública para pagar juros e amortizações em 2012.

Sem comentários: